domingo, 8 de novembro de 2009

Notícias do lançamento

Ontem vivi mais um dia de muita emoção e alegria na minha vida. O lançamento do livro escrito em coautoria com minha amiga Ruth Vasconcelos foi, de fato, um momento especial, que agregou pessoas queridas, que acreditam na seriedade do nosso trabalho e que se alegram com as nossas conquistas.

O "bate-papo com as autoras", proporcionaado pela organização da IV Bienal Internacional do Livro, foi um momento descontraído, no qual explicamos a trajetória da construção do livro e como isso está intrinsecamente relacionado à história da parceria intelectual e da amizade cultivadas por Ruth e eu desde que ela foi minha orientadora no Mestrado.
A emoção tomou conta de mim - como sempre - quando fiz os agradecimentos de praxe. Mais emoção ainda foi quando alunos e ex-alunos ali presentes deram seus testemunhos sobre Ruth e eu, enfatizando a nossa influência sobre suas escolhas intelectuais e suas carreiras. Nesse sentido, as falas de Bruno Lamenha, Manoel Bernardino e Carlos Augusto foram inesquecíveis.

O amigo Sérgio Coutinho, sempre muito presente, gravou todo o bate-papo e já disponibilizou na internet. Confiram abaixo:



Minhas considerações



Considerações da Ruth

O momento do lançamento do livro, no Café Literário da Edufal, foi outra emoção. Cada familiar, amigo, colega e aluno que chegava era motivo de grande alegria. O espaço ficou pequeno para tantas pessoas, a ponto de chamar a atenção de quem passava pelo lado de fora. Chegaram a pensar que se tratava de alguém famoso, de artistas ou escritores renomados. Não, éramos nós, duas mulheres sensíveis aos dramas da violência e da criminalidade, mas que, na qualidade de pesquisadoras e educadoras, acreditam na possibilidade da construção de um mundo melhor, pautado pelo respeito aos seres humanos. Acima de tudo, encontramos nas palavras um caminho para o diálogo constante, não apenas com acadêmicos, mas com toda a sociedade civil.

Preparei uma surpresa para a Ruth: escrevi um artigo para a Gazeta de Alagoas, falando do privilégio que é o nosso encontro intelectual. Qualquer coisa que eu fale sobre a importância da Ruth para a minha vida acadêmica e, cada vez mais, como amiga de grande apreço, ainda é pouco. Transcrevo aqui, na íntegra, o artigo, escrito com o que há de mais sincero em mim.


O privilégio de um encontro intelectual


Já dizia Vinícius de Morais que “a vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros”. Encontrar pessoas que estejam dispostas a contribuir para o crescimento dos outros é algo muito raro nos dias de hoje, sobretudo num campo permeado por vaidades de toda forma, como é a Academia. Generosidade intelectual, ali, é virtude de poucos.

Tenho tido o privilégio de encontrar, ao longo de minha formação, alguns intelectuais competentes e refinados que exerceram e exercem importante influência sobre mim, não apenas nos aspectos teórico e técnico da atividade intelectual, mas especialmente na construção de uma visão de mundo pautada pelo respeito às diferenças.

Nesse sentido, a socióloga Ruth Vasconcelos merece destaque especial. Pesquisadora de sólida formação, Ruth faz da atividade acadêmica um meio de transformação da realidade social, sobretudo quando levanta a bandeira da valorização da vida humana e da paz.

Foi por meio da orientação dela, no mestrado em Sociologia, que conheci o sujeito e a subjetividade como elementos fundamentais para a compreensão de qualquer problema social.
Foi também com ela que compreendi que é possível estabelecer uma relação professor-aluno fundada na autoridade do mestre, mas mediada pelo extremo respeito ao outro.

Sem essa generosidade peculiar e sem a sensibilidade que é marca distintiva da Ruth, não estaríamos hoje celebrando o lançamento do nosso primeiro livro em coautoria, intitulado Violência e criminalidade em mosaico.

Sinto-me privilegiada por merecer tamanha confiança, mas reconheço que foi por compartilhar com ela a mesma inquietação quanto às questões da violência e da criminalidade que estabelecemos tão fértil parceria e tão bela amizade.

Posso afirmar com convicção que meu compromisso com a construção de um mundo melhor encontra inspiração nessa grande mulher, minha eterna professora.

6 comentários:

Ruth Vasconcelos disse...

Querida Elaine,

Estou em estado de graça. Viver um encontro intelectual e existencial com alguém tão especial quanto você é um privilégio para poucos. Sou imensamente grata a você e aos amigos e amigas que partilharam conosco momentos de tanta emoção e carinho como os que vivenciamos no lançamento do nosso livro.

Não tenho palavras para descrever a emoção que senti ao ler as belas palavras que você endereçou para mim. Só posso dizer que são pessoas como você que me fazem querer ser cada vez melhor. Saiba que o sentimento amoroso, quase filial, que nos une é recíproco. Nossa relação acadêmica e de amizade alimentam a minha existência. Saiba que você e muitos estudantes que transitam em minha vida permitem-me dizer que sou uma educadora absolutamente realizada. Declarações como a sua aumenta em mim a responsabilidade que tenho diante do outro. Saiba que farei o possível para sempre ser merecedora de suas elogiosas e sinceras palavras; este é o maior reconhecimento que um profissional pode ter nesta breve passagem pela vida. Muito obrigada por tudo. Receba um beijo e um abraço daqueles que só damos nas pessoas que realmente amamos.

Ruth Vasconcelos.

Pablo Falcão disse...

vocês duas são fontes de inspiração: bonitas e intelectualizadas, militantes e femininas,competentes e simples ... a grandiosidade do ser está em reconhecer-se pequeno em ato, mas gigante em potência. Votos de todo sucesso que possa brotar desse mosaico

Jomery Nery disse...

Querida Elaine,

Obrigado por ser uma pesquisadora tão sensível as causas pertinentes a violência.
No momento em que vc estava autografando os livros, fiquei admirando a grandeza do teu trabalho. Você, com toda a sua simplicidade, que lhe é peculiar, demonstrava ali uma pessoa gigante!!!
Te admiro muito!!!

Um beijo,
Jomery

Nathália disse...

Elaine,
Parabéns por mais esse livro publicado! Não pude comparecer ao lançamento, mas estou com ele em minha casa, aguardando uma dedicatória!

Lindo o texto publicado na Gazeta!

Beijo grande

Ginha disse...

Minha querida Elaine,

Agradeço a Deus ter me dado a oportunidade de ter estado com vcs neste momento tão especial do lançamento do Livro. Registro minha emoção e permitam-me reforçar o que Pablo Falcão disse...
"vocês duas são fontes de inspiração: bonitas e intelectualizadas, militantes e femininas,competentes e simples ... a grandiosidade do ser está em reconhecer-se pequeno em ato, mas gigante em potência"
Muito sucesso para Você e para Ruth, pequena grande mulher!!!!
bjos
Ginha

Eulina Costa disse...

Querida filhotinha,
Agradeço a Deus cada dia pelo privilégio que me concedeu, com tão belos presentes que são vc e seu irmão como filhos.Nesta semana,vivi momentos de pura emoção e felicidade,entre tantos que já tenho vivido com vcs.Parabens minha filha!Vc sabe o quanto compartilho de suas conquistas,posso dizer, me realizo,e muito mais ainda quando ouço de seus amigos,alunos e colegas,tantas palavras de carinho e apreço aos seus trabalhos e a sua maneira de ser, com elogios sinceros.Sou suspeita para emitir alguma coisa em público,o que realmente gostaria de fazer em determinadas ocasiões, para confirmar os comentários,porque ninguém melhor do que eu sabe da grande mulher que vc é,em sentimentos,capacidade,estudos,solidariedade,companheirismo e muito, muito afeto às pessoas que lhe cercam.Gostei demais do seu artigo na GA, sobre a Ruth, muito bem merecido,agradeço a ela o que vc aprendeu com seus ensinamentos no mestrado e que,consequentemente,formaram essa dupla de escritoras e defensoras imbatíveis das grandes causas em favor da vida.Acredito que não foi só para mim, mas também para muitas pessoas que tem amizade a vcs, uma grande satisfação, comtemplar as duas autografando com tanta alegria o livro que escreveram em coautoria,onde em suas páginas demostraram todo desejo de um mundo melhor e de paz.Deus abençoe e ilumine essa linda caminhada.Muitos beijos da sua Mamãe.